segunda-feira, 21 de Abril de 2008

10ª Criatura - Minotauro


Na Mitologia grega, o Minotauro era uma criatura meio homem e meio touro. Ele morava no Labirinto, que foi elaborado e construído por Dédalo, a pedido do rei Minos, de Creta, para manter o Minotauro. O Minotauro foi eventualmente morto por Teseu.
Minotauro é o
grego para Touro de Minos. O touro também era conhecido como Asterião (ou Astérios), nome compartilhado com o pai adotivo de Minos.
A história de Minos
Antes de Minos tornar-se rei, ele pediu ao
deus grego Poseidon por um sinal, para assegurar-lhe que ele, e não seu irmão, assumiria o trono. Poseidon concordou em enviar um touro branco na condição de que Minos sacrificasse o touro de volta ao deus. De fato, um touro, de incomensurável beleza, saiu inexplicavelmente do mar. Minos, após vê-lo, achou-o tão belo que, ao invés dele, sacrificou outro touro, esperando que Poseidon não notasse. Poseidon ficou furioso quando notou o que havia sido feito, e fez com que a esposa de Minos, Pasífae, fosse dominada por uma loucura e que se apaixonasse pelo touro. Pasífae foi até Dédalo em busca de assistência, e ele inventou uma maneira dela satisfazer suas paixões. Ele construiu uma vaca oca de madeira,e encobriu Pasífae com pele de vaca para que o touro pudesse montar nela. O resultado dessa união foi o Minotauro. Em algumas considerações, o touro branco tornou-se o Touro de Creta, capturado por Hércules em um de seus doze trabalhos.

9º Criatura - Esfinge


A Esfinge egípcia é uma antiga criatura mística icónica usualmente vista como um leão estendido com uma cabeça humana, normalmente a de um faraó.
Vistas como guardiãs na estatuária egípcia, esfinges são descritas numa destas três formas:
Androsfinge - corpo de leão com cabeça de pessoa;
Criosfinge - corpo de leão com cabeça de ovelha;
Hierocosfinge - corpo de leão com cabeça de falcão.
A maior e mais famosa é Sesheps, a esfinge de Gizé,
com um pequeno templo entre as patas. O rosto daquela esfinge é considerada como a cabeça do faraó Quéfren ou possivelmente a do seu irmão, o faraó Djedefré. Contudo, há algumas teorias alternativas que redatam a esfinge ao pré-antigo império.

sábado, 19 de Abril de 2008

8ª Criatura - Hydras


A Hidra era um animal fantástico da mitologia grega com inúmeras cabeças de serpente que se regeneravam, e corpo de dragão, cujo hálito era venenoso. Uma das cabeças era imortal. Foi derrotada por Hércules num de seus doze trabalhos, que atirou uma pedra à cabeça imortal ou, em outras versões, destruiu cada cabeça e, para não se regenerarem, pediu a seu sobrinho, Jolau para queimar cada cabeça após ser cortada, para que não se regenerasse. Segundo a tradição, o monstro foi criado por Hera para matar Hércules. Quando percebeu que Hércules iria matar a serpente, Hera enviou-lhe ajuda, um enorme caranguejo, mas Hércules pisou-o e o animal converteu-se na constelação de caranguejo.

7ª Criatura - Cerberus


Cerberus, ou Cérbero, era um monstruoso cão de múltiplas cabeças e cobras ao redor do pescoço, que guardava a entrada de Hades, guardão do reino dos mortos, deixando as almas entrarem, mas jamais saírem, e despedaçando os mortais que por lá se aventurassem. A descrição da morfologia de Cerberus nem sempre é a mesma, havendo variações. Mas uma coisa que em todas as fontes está presente é que Cerberus é um cão que guarda as portas do Inferno, não impedindo a entrada... mas sim a saída. Quando alguém chegava, Cerberus fazia festa, era uma criatura adorável. Mas quando a pessoa se queria ir embora, ele impedia-a, tornando-se um cão feroz e temido por todos. Os únicos que conseguiram passar por Cerberus, saindo vivos do Inferno, foram Héracles, Orfeu, Enéias e Psiqué. Cerberus era, na maioria das vezes, descrito como tricéfalo. A sua cauda também não é sempre descrita da mesma forma, às vezes como de dragão, como de cobra ou mesmo de cão. Ás vezes, é dito serem encontradas serpentes a saírem do seu pescoço ou tronco.

6ª Criatura - Fenrir, o Lobo Gigante


Fenrir, é um lobo monstruoso da mitologia nórdica. Filho de Loki com a giganta Angrboda, tem como irmãos Jormungand e Hel. Acorrentado pelos deuses até o advento do Ragnarok, Fenrir solta-se e causa grande devastação, antes de devorar o próprio Odin. É morto pelo filho do grande deus, Vidar, que enfiou uma faca em cheio no seu coração. Fenrir tem dois filhos, Hati e Skoll. Os deuses levaram Fenris para uma ilha deserta e desafiaram-no a partir a corrente, Gleipnir. Percebendo a armadilha, o lobo concordou, mas com a condição de que um dos deuses pusesse a mão dentro da sua boca, como sinal de "boa fé". Assim, o bravo Tyr enfiou a mão direita entre as mandibulas do terrível monstro. Eles amarraram o lobo com os grilhões macios, mas quanto mais Fenris puxava, mais Gleipnir se apertava no seu pescoço. Furioso, ele fechou vigorosamente as suas enormes mandíbulas e separou a mão do deus do seu braço. Mesmo sabendo que chegaria o dia em que Fenrir se libertaria de Gleipnir e traria morte e destruição a todos eles, os deuses não o mataram.

5ª Criatura - Goblins

Os Goblins são criaturas, geralmente, verdes e de aparência horripilante, que se assemelham a duendes. Nas lendas eles vivem sempre a fazer brincadeiras de mau gosto. Os goblins são normalmente associados ao mal. Diz-se que são feios e assustadores, comem crianças, gritam horripilantemente, fazem feitiços, estragam a comida e travam guerras contra os gnomos. Nalgumas mitologias, os goblins possuem grande força. Normalmente por serem seres de pouca inteligência e hábitos selvagens, moram em cavernas ou pequenas cabanas construídas com paus e peles de animais. A sua grande capacidade de sobrevivência fá-los seres presentes em quase qualquer ambiente, sendo possível serem encontrados em montanhas, pântanos, desertos, pedreiras, florestas ou cidades. Vivem em bando, com uma comunidade precária semelhante a uma sociedade de homens primitivos.

4ª Criatura - Basiliscos


Em algumas descrições, o Basilisco é uma serpente fantástica. Há quem o descreva como uma serpente com uma coroa dourada. Durante a Idade Média era representado como tendo uma cabeça de galo ou, mais raramente, de homem. O basilisco podia também ser visto como um animal semelhante a um dragão com cabeça de galo; em outras descrições, porém, a criatura é descrita como um lagarto gigante (as vezes com muitas patas), mas a sua forma mais aceite é como uma grande cobra com uma coroa. O basilisco é capaz de matar com um simples olhar. As únicas formas de o matar são, de alguma maneira, fazê-lo ver seu próprio reflexo num espelho, considerando-se que alguém chegue perto o suficiente, ou com o canto do galo, que lhe é fatal. Dizem que ele nasce de um ovo de galinha chocado por uma rã.

3ª Criatura - Fénixes


A Fénix é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão e passado algum tempo renascia das próprias cinzas. Outra característica da fénix é sua força que a faz transportar, em vôo, cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes. Tem penas brilhantes, douradas, e vermelho-arroxeadas, e seria do mesmo tamanho ou maior do que uma águia. Segundo alguns escritores gregos, a fénix vivia exactamente quinhentos anos. A vida longa da fénix e o seu dramático renascimento das próprias cinzas transformaram-na em símbolo da imortalidade e do renascimento espiritual.

2ª Criatura - Manticores


O Manticore é uma criatura lendária parecida à Esfinge egípcia. Tem corpo de leão, cabeça de humano com três filas de dentes afiados e uma voz tipo trompete. Tem origem Persa, donde vem o seu nome, "devorador de homens". O Manticore também é conhecido como o "Mantícora", o "Mantichor" ou o "Mantiger". Esta criatura é muito veloz e dá enormes e poderosos saltos. Ele tem uma reputaçao de andar pelas selvas da Índia, e é conhecido por ter apetite por humanos. Como as suas primas, as Esfinges, custuma desafiar a sua presa com adivinhas e enigmas antes de as matar. Nas idades médias, o Manticore era o emblema do profeta Jeremias porque a criatura vive nos confins da Terra, e Jeremias tinha sido atirado para o fundo de uma masmorra.

segunda-feira, 14 de Abril de 2008

1ª Criatura - Dragões


Os dragões estão entre as criaturas mitológicas mais conhecidas e apreciadas no mundo todo. São também as criaturas mais temidas em diversos tipos de histórias. São criaturas presentes na mitologia dos mais diversos povos e civilizações. São representados como animais de grandes dimensões, normalmente de aspecto de réptil muitas vezes com asas, plumas, poderes mágicos ou hálito de fogo. A palavra dragão é originária do termo grego drakôn, usado para definir grandes serpente. Vários mitos eles são apresentados literalmente como grandes serpentes, como eram inclusive a maioria dos primeiros dragões mitológicos. A variedade de dragões existentes em histórias e mitos é enorme, abrangendo criaturas bem mais diversificadas.
Desconhecem-se evidências concretas que fundamentem a existência de dragões semelhantes aos construídos pelo imaginário dos diversos povos.